11 de abril de 2010

10 melhores bandas Punk de todos os tempos e mais um pouco sobre o movimento Punk

48 opiniões
O Punk veio ao mundo na Inglaterra na década de 70, apesar de ter algumas bandas que faziam algo parecido nos anos 60, mas digamos que foi "formalizado" nos anos 70 e também conta com raízes nos Estados Unidos. Sua simplicidade era tanta que seus acordes não passavam de três ou quatro notas e um som caracterizado pela rapidez e agressividade tanto aos ouvidos quanto as ideias.

O Antagônico Punk

Se me permitem fazer uma analogia, acho que o Punk está para o mundo real assim como o Metal está para o mundo etéreo. Daí dá para ter uma ideia do porquê de metaleiros e punks trocaram tantas alfinetadas.
Enquanto o Heavy Metal da época contava com popstars de peso tipo Led Zeppelin, Black Sabbath, Pink Floyd e mais alguns, que tinham suas músicas com arranjos muito bem trabalhados e letras introspectivas ou sem relação com a realidade, por vezes se tratar do individualismo, sentimentos, fantástico ou fábulas, sem dizer que o show não tem o mesmo tipo de contato com o público em relação ao Punk. O Punk veio com um grito dos que não viam um futuro, garotos pobres, desempregados ou alguém revoltado com o sistema. Sua música tange a assuntos sobre as condições enfrentados pelos seus adeptos, críticas a educação, política desemprego, falta de perspectiva daí vem toda a agressividade do Punk e algumas de suas características ideias anarquistas, niilistas e revolucionárias.

O CBGB, casa Punk!?

O CBGB ou CBGB & OMFUG (Country, Bluegrass, and Blues and Other Music For Uplifting Gormandizers) localizado no bairro de Manhattan, em Nova Yorque, nada mais era que uma casa noturna onde bandas novas se apresentavam, foi considerado o berço da música punk. Foi ali que muitas bandas se apresentavam e as portas de gravadoras se abriam.
O que era para ser um patrimônio do mundo da música, não existe mais. O CBGB fechou e atualmente é uma loja de roupas.

O Mercado Punk

Com toda essa revolução musical acontecendo é claro que a industria da música não ficaria parada vendo toda a criatividade dos garotos do subúrbio sem lucrar com isso, foi então que uma certa banda afrontou a monarquia inglesa, surgia Sex Pistols, uma banda criada pera a moda do momento e que contou com um dos personagens mais conhecidos do mundo Punk, Sid Vcious (John Simon Ritchie-Beverly) que todos sabem teve um fim trágico com sua namorada Nancy, uma drogada que tentava a vida como prostituta.
Bandas como Television, Richard Hell, Johnny Thunders & The Heartbreakers, The Ramones, Blondie, Elvis Costello, The Dead Boys e The Misfits que passaram pelo CBGB ganhavam fama pelo mundo.
Sugiram os fanzines punks como a Sniffing Glue (Cheirando Cola) e o lema DIY (Do It Yourself - Faça Você Mesmo) como uma resposta ao que acontecia com o Punk sendo comercializado e fugindo a sua própria origem e sendo ofuscadas pelos hits da discoteca que surgia. O filme "Os Embalos de Sábado a Noite" foi tido com um marco da queda Punk. Destaque para a banda CRASS em relação ao lema DIY e mostou um Punk politizado e anarquista e foi tomado como um perigo pelo governo inglês.

O Novo Punk

Nos anos 80 surgiu o Hardcore, uma vertente do Punk. Veio como uma resposta ao grito "Punk´s not dead!" (Punk não está morto!) do final de 78. Contava com bandas ainda mais politizadas. Vale ressaltar um episódio da época com a banda The Exploited, de atitudes fascistas onde o vocalista Wattie dizia que "odiava negros, filipinos, latinos e marroquinos". Em um show na fronteira com o México e com abertura da banda mexicana Solucción Mortal, que foi visitá-los no camarim. O Exploited espancou o vocalista e outro integrante e os obrigaram a comer merda no banheiro. Contudo, a reação real punk surgiu! Durante o show, os punks latinos subiram ao palco, destruíram a aparelhagem, espancaram o Exploited e o seu empresário. Gritavam: "el fascismo no passará!". 
Nos USA, Dead Kennedys foi uma das bandas que mais marcaram época. Com letras críticas e ácidas ao governo, à polícia e a forma americana de viver e explorar, levou um processo judicial por causa de uma capa de disco. Além disso, criaram um "hino" chamado "Nazi Punks, fuck off!", uma música contra o Exploited, seus inimigos declarados. Depois do término da DK, o vocal Jello Biafra montou o selo Alternative Tentacles, fez uns discos de poesias e discursos antifascistas gravados em palestras nas universidades para arrecadar fundos pro processo. Ainda montou a banda LARD.
Nos anos 90 o Hardcore foi alvo da industria musical que visava mais lucros com o gênero. No Brasil muitas bandas Punks apareceram em cena. Não cito nomes das bandas brasileiras, pois as mais conhecidas por aqui são justamente aquelas que caíram no gosto popular pela manipulação da industria musical e mídias de alienação, uma coisa que foge totalmente a premissa Punk.
Vale dar espaço ao movimento anarcopunk, que surgiu para incentivar mais o movimento Punk. Preocupados com a conscientização, contra a homofobia (discriminação homossexual), xenofobia (discriminação a outros lugares, regiões, países), o armamento militar e policial, à violência urbana, a alienação da TV e da mídia, o racismo, a política profissional, a educação alienante, o capitalismo e a fama.

Fonte: Grito Punk

As 10 Melhores Bandas Punks de Todos os Tempos

10 - The Damned














9 - The Misfits















 
8 - The Adicts
















7 - CRASS














Site Oficial - Não tem

6 - L7






















5 - Dead Kennedys
















4 - Iggy Pop





















3 - The Clash 

















2 - Sex Pistols























1 - Ramones















Site Oficial - Não tem. 

Sei que faltou muitas bandas nessa lista. E sinceramente, ao terminá-la penso, não importa em nada isso, Punk é movimento.




À Punk mais adorável, Fernanda Pedraza Martins.





48 opiniões:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ocioso